Dia das Mães

O dia das mães é um dia mais que esperado por todos nós. Um dia para homenagear a pessoa que mais amamos e que também nos ama, neste mundo. Mas como senti-la de perto, como tocá-la? Em tempos de pandemia do Covid 19, a nossa distância física, em alguns casos, é a maneira mais certa de dizer EU TE AMO! Temos que proteger os mais velhos. Proteger a nossa mãe é um ato de amor.

Podemos demonstrar o nosso amor para com as nossas mães orando por elas, com cuidados e atendendo às suas necessidades para que não saiam de casa. Novos tempos. Tempos que nos adaptar.

Diga EU TE AMO! Mas sem o afago do abraço, sem o beijo, sem o contato. Ela vai sentir o seu amor, porque quem ama, cuida.

 

Um pouco de história para conhecermos um pouco sobre esta data: A mais antiga comemoração do dia das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses. A Enciclopédia Britânica diz: Uma festividade derivada do costume de adorar a mãe, na antiga Grécia. A adoração formal da mãe, com cerimônias para Cibele ou Rhea, a Grande Mãe dos Deuses, era realizada nos idos de março, em toda a Ásia Menor.

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada pela ativista Ann Maria Reeves Jarvis, que fundou em 1858 os Mothers Days Works Clubs com o objetivo de diminuir a mortalidade de crianças em famílias de trabalhadores. Jarvis organizou em 1865 o Mothers Friendship Days (dias de amizade para as mães) para melhorar as condições dos feridos na Guerra de Secessão que assolou os Estados Unidos no período. Em 1870 a escritora Julia Ward Howe (autora de O Hino de Batalha da Repúbica, publicou o manifesto Mothers Day Proclamation, pedindo paz e desarmamento depois da Guerra de Secessão. Fonte: wikipedia

 

Para Sempre


Por que Deus permite

que as mães vão-se embora?

Mãe não tem limite,

é tempo sem hora,

luz que não apaga

quando sopra o vento

e chuva desaba,

veludo escondido

na pele enrugada,

água pura, ar puro,

puro pensamento.

Morrer acontece

com o que é breve e passa

sem deixar vestígio.

Mãe, na sua graça,

é eternidade.

Por que Deus se lembra

- mistério profundo -

de tirá-la um dia?

Fosse eu Rei do Mundo,

baixava uma lei:

Mãe não morre nunca,

mãe ficará sempre

junto de seu filho

e ele, velho embora,

será pequenino

feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade





Comentários
    Nenhum comentário! Seja o primeiro, preencha o formulário abaixo!
Deixe seu comentário