MANHÃ COM ELAS - Dia Internacional da Mulher

Aconteceu na manhã desta terça – 09 de março - uma programação especial para homenagear o Dia da Mulher, na Jequié FM – Manhã com Elas – às 10:00 da manhã , horário cedido pelo Programa Manhã de Sucessos com Lucas França.

Abrimos a nossa roda de conversa com uma questão para interação das ouvintes – Elas querem saber: Qual o peso e a alegria de ser Mulher? As ouvintes participaram, mandando áudios pelo whatsApp da rádio, para interagir com as convidadas.

Tivemos como convidadas:

Ana Luiza Freire – Estudante do Colégio Modelo, faz curso nas áreas de fotografia e botânica pelo CJCC. Ela abriu a nossa roda de conversa falando um pouco da história do Dia 08 de Março. Este dia foi intitulado Dia Internacional da Mulher por conta de dois grandes acontecimentos mundiais: o incêndio de uma fábrica em NY, durante a greve de operárias em busca de melhores condições de trabalho e a marcha das mulheres trabalhadoras socialistas que aconteceu em 1917, na Rússia.

Em seguida, eu, Wilma Stock, formada em letras, empresária, passei dados de um estudo encomendado pelo Programa de Desenvolvimento da ONU, que aponta o crescimento do preconceito contra a mulher. Foram avaliados 75 países e o estudo apontou que 90% da população mundial tem algum preconceito contra a mulher. seja ele: político, econômico, educacional, violência, direitos reprodutivos.

Graziélle Bossi – Coach de Carreira – ajuda mulheres a se tornarem mais confiantes para conquistarem a realização profissional. Ela falou sobre a temática de Novos Tempos e Velhos Desafios. No momento, comentou os dados apresentados por mim. Em sua visão, o preconceito está maior porque as mulheres estão ocupando mais espaços nos diversos setores da sociedade que antes eram ocupados exclusivamente por homens e de certa forma, elas estão em evidência. O preconceito surge diante de um pensamento de que a mulher não tem capacidade para ocupar tais espaços, mas estamos mostrando que podemos ocupá-los sim, basta termos conhecimento e competências técnicas para isso. Também foi falado por ela sobre a auto cobrança. Somos culturalmente construídas para sermos fortes. Antigamente, nos era cobrado sermos boas esposas, mães e donas de casa e hoje, além de tudo isso, queremos ser ótimas profissionais. Em busca da perfeição em todos os papéis que ocupamos, muitas das vezes isto abala a nossa autoconfiança e a nossa saúde. É importante lembrar que precisamos nos tratar com mais generosidade, nos cobrar menos e viver com mais leveza. Somos vulneráveis, temos fraquezas, mas somos capazes!

Nancy Dias –  Radialista, formada em Letras foi a nossa âncora, no programa.

Rita Braga – Bióloga, mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio de Contas, militante da causa água e gênero, sócia diretora da empresa Ciklos Pessoas e Sustentabilidade, consultora em sustentabilidade. Rita abordou um aspecto muito importante sobre a relação da mulher com a água e a importância de mais mulheres estarem à frente dos espaços de decisão como forma de garantir acesso à água e ao saneamento para mais de 27 milhões de mulheres brasileiras que não têm acesso a esse serviço de extrema importância. A água e a mulher tem uma relação muito próxima por conta de todos os elementos que envolvem o cuidar, o higienizar, o alimentar e outras necessidades que a mulher atende.

Rafaella Stock – Psicóloga (UFBA), especialista em Teoria Clínica pela UFBA, especialista em Processos Formativos pela EESP, começou sua fala com a frase de Simone de Beauvoir – Não se nasce mulher, torna-se mulher. A mulher é fruto de uma construção social, dos ditames da sociedade que se vive, da criação que recebemos. Em sua experiência clínica é comum escutar das mulheres questões em torno da auto imagem e do peso de sustentar algumas escolhas ou, simplesmente, muda-las quando estas já não estão sustentadas na liberdade e autonomia que todos desejam enquanto sujeitos. Não é raro que experimentem a culpa, o lugar de objeto do outro, a angustia de não corresponderem ao ideal de corpo e imagem que lhes são apresentados. Por tudo isso, demanda muito esforço realizar pequenas conquistas que já estão garantidas a tantos homens. Portanto, ter um espaço para expressar as angustias, ser escutada sem julgamentos, se faz fundamental no trabalho de (des)construir o que é ser mulher para cada mulher, singularmente.

Elane Nordotto – Professora do IFBA e terapeuta reikiana, assumida como uma mulher feminista, fechou a rodada de discursões, falando sobre os cuidados que devemos ter com nós mesmas e com outras mulheres, que também não devemos carregar a marca da Mulher Maravilha, que embora nós sejamos essa mulher que dá conta de tudo, devemos preferir dizer que: eu sou capaz de dar conta de tudo, mas eu não quero dar conta de tudo. Para refletirmos, ela nos sugeriu que respondêssemos  às seguintes questões: Eu paro alguns momentos para sentir a minha respiração? Eu digo não para o que está me incomodando e me deixando infeliz? Eu digo não para aquela pessoa que me agride, que usa de força física para me calar? Eu tiro um tempinho da minha rotina para sair com minhas amigas, tomar um café, tomar uma cervejinha, dançar e rir alto? Quando foi que me dediquei a mim mesma? Eu divido as tarefas de casa com meu companheiro, minha companheira?

Foi muito gratificante receber e ouvir tantas mulheres conscientes de seu papel no lugar que existe. Foi muito enriquecedor ouvir mulheres conscientes dos seus direitos e conquistas como mulher. Sei que deixamos as ouvintes do momento Manhã com Elas reflexivas e antenadas sobre qual o papel da mulher, em qualquer contexto de sua existência e sabendo de que, apesar de tantos preconceito que permeiam o SER MULHER seguimos rompendo barreiras e construindo pontes.

 

 

 





Comentários
  • Parabéns à Jequié FM, por mais um belo trabalho, falar de mulher vai muito mais além de letras, numeros e estatiscas, tudo isso junto com um toque especial que de fato a torna mulher. Parabéns a todas as profissionais competentes e que com muita propriedade falaram do grande universo que é MULHER.

  • Ana Luiza Freire

    Foi um prazer participar desse momento tão especial para nós mulheres.

  • Miralva Santos Oliveira

    Parabéns Wilma vc sempre nos presenteando trazendo renovação na vida de todas nós mulheres.

    • Wilma Stock

      Obrigada por interagir neste espaço. bjs

  • Regina Chaves

    Muito produtivo, excelente reflexão!!! Parabéns!

    • Wilma Stock

      Obrigada por interagir neste espaço. bjs

Deixe seu comentário